segunda-feira, 26 de outubro de 2009

As palavras e o ódio...



As palavras são palavras.
Nuvens.
Instrumentos na mão do vento.
O vento somos nós!
Se o vento entoar a canção do amor,
As palavras serão de amor.
Se o vento entoar a canção do ódio,
As palavras serão de ódio.
As palavras de amor são visitas habituais
Na morada do meu coração.
As outras...
Não entram nele,
Nem permito que se aproximem!
Limito-me a vê-las,
Bichos rastejantes,
Na viagem do regresso!
de Eduardo Aleixo, "As palavras são de água"
Obrigada, meu amigo, o teu livro é muito bonito! E, nem por acaso, abri-o e foi este poema que li! Vem completamente ao jeito dos meus presentes sentimentos de existência... ou da falta de existir!
Obs. Acabei de saber que hoje é o dia do aniversário do Eduardo, que pontaria em humildemente o homenagear aqui com as suas próprias palavras...
Parabéns, Eduardo, um dia feliz!

20 comentários:

RETIRO do ÉDEN disse...

Ex.,

É isso... só se vê ódio por todo o lado.
Não conseguimos ter esse sentimento por aqui. Tristeza e raiva (provavelmente será parente do ódio) mas ódio entendo desejar mal a... e nós oramos, oramos, para que nós nos tornemos santos e estas pessoas consigam passar a vêr a mão de Deus estendida e que a agarrem. E que nada de mal lhes aconteça. Nem desejo que um dia paguem o que nos estão agora a fazer...porque é tão doloroso que nem ao meu inimigo desejo. Também porque quem vinha a sofrer também era o nosso nétinho, ainda mais, caso a mãezinha ficasse mal por castigo de Deus. Por tudo isso, não lhe desejo mal algum.

É só isto que tenho a dizer por ora.

Interessante esse poeta também faz anos hoje.
Muito bonitas as palavras que escolheste.

Fui à missa das 12:00 e ofereci por intenção do jovem João Banza. Que essa família sinta o calor da vossa amizade para mínimizar tamanha perda.

Bjinhos
Mer

gaivota disse...

retiro do éden
obrigada por tudo, e entendo-te
tão bem... ninguém é ninguém! andamos simplesemnte numa passagem que a morte concede à vida de cada
um...
pobre pai nessa situação e o vosso netinho, por aí!
também não sei o que é isso de "ódio" mas acusam-me desse sentimento(!) perante alguns familiares, nem entendi! desliguei o telefone...
ninguém me vai perturbar de jeito nenhum, já chega, acabou!
coragem minha amiga, Deus não dorme...
beijinhosssssssss

São disse...

Também gostei do poema...

E parabéns ao Eduardo: futuro risonho para ele e sucesso para o livro.

Abraço fraterno para ti, linda xará.

Fa menor disse...

"As palavras são de água"...
título muito bem escolhido. que ela possam sempre lavar a alma de alguém!

Parabéns (duplamente)ao amigo Eduardo.

Beijinhos para ti.

Obrigada, sempre!

Mário Margaride disse...

Belo poema, gaivota.

Os meus parabéns ao Eduardo!

Beijinhos e uma óptima semana.

Mário

Paula Raposo disse...

Já tive ocasião de dizer ao Eduardo quanto o seu livro é lindo! Beijos.

gaivota disse...

são
está muito bonito o livro, palavras de água... tal como é o que precisamos, não é, xará?
como já te disse, não sei a possibilidade de estar ou não, amanhã... lamento imenso, se não fôr viável
beijinhos minha linda

gaivota disse...

fa menor
ai minha amiga, se fosse possível haver essas lavagens, de alma!
obrigada...
beijinhos

gaivota disse...

mário margaride
obrigada, está muito bonito o livro do Eduardo
beijinhos

gaivota disse...

paula raposo
é como dizers, está muito lindo
e o teu também!
sabes como tenho andado e ainda não chegei a ti!
beijinhos

Vicktor disse...

Querida Gaivota

Deixo aqui uma palavra de solidariedade pelo que tens sentido nestes últimos tempos.

Que o ânimo não te falte.

Beijinho grande

gaivota disse...

vicktor
obrigada pelas tuas palavras
estão muitas coisas em "assuntos" a resolver...
beijinhos

Isa disse...

Minha querida,ñ só podias,como gostei do q.fizeste.
Sou assim:presente na Dor e na Alegria.
Que raio(desculpa a expressão)de Amizade seria se só me manifestasse nas coisas boas?
Beijo.
isa.

gaivota disse...

isa
pois também penso assim, é o verdadeiro significado da amizade!
só não sei como se faz, para pôr a vela a "mexer", mas basta a intenção
pobre do joão... será amanhã, possivelmente que se efectuará o funeral...
beijinhos

Eduardo Aleixo disse...

Gaivotinha

Grato, grato muito grato, por palavras tão belas que tu e o teu blogue me dirigem. Fico contente. Não é por acaso que escolheste esse poema, ou foi o poema que te escolheu. Só o AMOR interessa. E ELE vencerá se O tivermos no nosso coração. Só com o AMOR se pode vencer o mal do mundo..Beijos.

gaivota disse...

eduardo aleixo
pois deve ter sido o poema que me escolheu...
nesta altura da minha vida, tinha mesmo que ser!
mas vou conseguir...
obrigada pelas palavras
beijinhos

Viviana disse...

Olá Gaivota linda

Apercebo-me que o seu coraçãozinho anda tristinho, boa amiga.
Lamento e tenho pena que assim seja.

Mas nós sabemos perfeitamente,
que o mundo como está não é muito propício a manifestações de alegria e regozijo.

Pelo contrário...

Que o Deus de amor conforte e console o seu coração, querida amiga.

Um abraço cheio de carinho

viviana

gaivota disse...

viviana
obrigada pelas palavras minha amiga, anda muita coisa muito mal!
e estas injustiças nestes acontecimentos... fico sem mais palavras
beijinhos

elvira carvalho disse...

Gostei do poema. Duplos parabéns ao autor pelo livro e pelo aniversário. Não gostei da sua "não vontade de existir"
Um abraço e tudo de bom

gaivota disse...

elvira carvalho
coisas, minha amiga...
muito chatas e complicadas, sem dignidade nem humildade, em que tenho que pactuar para que se resolva...
não posso ficar bem!
beijinhos