quarta-feira, 30 de abril de 2008

KoninginDag: holandeses - festa e negócio


Juliana foi a raínha que fazia anos neste dia, a mãe falecida da actual raínha.
Mas o aniversário de Beatriz é em Janeiro e está frio, por isso decidiu-se há muito que este 30 de Abril ficaria o dia oficial da raínha.
A festa é tradicionalmente das crianças e trata-se de música, brincadeiras, desfiles e actuações de um povo vestido de cor-de-laranja. Mas todas as idades participam pondo em relevo criatividade, confraternização e festejo.
Uma grande feira de tudo em segunda mão (desde antiguidades até lixo e porcarias), em preços de cinco cêntimos e por vezes grátis dá lugar a uma noite e um dia que terminam com a maior contagem de comas alcoólicos no hospital.
É giro e cansativo... mas os holandeses não perdem a oportunidade e passam o ano a juntar para ali despacharem/reciclarem o que já não querem, ou não fossem eles verdadeiros negociantes.

E depois da festa da raínha, não há melhor que o dia de aniversário de uma minha princesa.
Parabéns Maria.

Àgua das Pedras (outra do Ilhós)




Deste mar... tenho saudades!
(fotos tiradas em novembro.2005, numa máquina de bolso e passadas a cd)

Certo dia em que o mar estava um pouco agitado (RABIOSA), o senhor Ilhós, que não se sentia muito bem do fígado, foi ao consultório do Sr. Dr. Zé.
Depois de o ter auscultado, o médico disse-lhe:

Médico - Então pá, quando é que ganhas juízo? Quando é que deixas de beber vinho?... Agora tens de ir beber água das pedras!...

Ilhós - Ir buêr áuga às pérdas c'uma rabiosa q'aí tá sô dôtor?...

domingo, 27 de abril de 2008

O recado do Ilhós



Certo dia, ao sair de sua casa que se situa junto às escolas, o Guilherme (coxo), deparou com o Ilhós, que também morava para aquelas bandas.
Este vinha acompanhado de dois polícias, pelo que o Guilherme lhe perguntou:

Guilherme - Atão Ilhós, já vás prêse ôtra vez na vás?...
Ilhós - Não... Vôn a um recáde com eles!...

Joaquim Pimenta - NAZARÉ, Suas histórias e suas gentes

sexta-feira, 25 de abril de 2008

25 de abril, sempre





Alguns cravos do 25 de abril, que foram chegando, os outros ainda vêm a caminho. vão-se atrazar . . .
Capa Negra, rosa negra,
Rosa negra, sem roseira
Abre-te bem nos meus ombros
como ao vento uma bandeira
Abre-te bem nos meus ombros
Vira costas à saudade
Capa negra, rosa negra
Bandeira da Liberdade


Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não
Venho dizer-vos que não tenho medo
A verdade é mais forte que as algemas
Quis saber quem sou
o que faço aqui
quem me abandonou
de quem me esqueci
Perguntei por mim
quis saber de nós
mas o amor
só nos tráz tua voz
...
...
e depois do amor
e depois de nós
o adeus
o ficarmos sós!


Grândola vila morena
terra da fraternidade
o povo é quem mais ordena
dentro de ti oh cidade
dentro de ti oh cidade,
o povo é quem mais ordena
terra da fraternidade
Grândola, vila morena
..../....
E foi assim que se deu início ao Movimento dos Capitães de Abril, dia 25 de Abril de 1974,
presos políticos libertados no nosso país, regresso de tantos outros presos políticos que se encontravam em presídios fora de Portugal.
Sentiam-se provas de amor no ar, entre todo o povo, a ideologia política tão recentemente absorvida, dava largas à liberdade de todos!
Os soldados do movimento das forças armadas, fardados e com uma espingarda, acabaram por ter no cano da mesma, um CRAVO, vermelho!
Foi lindo!, francamente único, reacções expontâneas entre todo o povo!
Era assim que estava a baixa lisboeta, que eu tão bem testemunhei!
Era assim Portugal!,
feliz e livre!

quarta-feira, 23 de abril de 2008

GAIVOTAS - LIBERDADE!

Ei-las que apanham pedaços de pão, são lindas!

Voando à procura de comida, do pão que lhes vão dando, pão esfarelado, à falta de peixe...


Uma princesa de outros mares, de outras alturas, de outras saudades...



Há três dias, estava o mar
galgando tudo e rugindo
estava sol, com mar irado
mas, mesmo bravo, era lindo

Hoje está sol e está manso
muito azul, nem ondas faz...
onde está aquela raiva
de há três dias atrás?

Andam gaivotas voando
p'lo céu azul e no mar
os filhinhos ensinando
como se deve pescar
É normal, é lei da vida
ensinar a inocência
a comer e defender-se
é a lei da sobrevivência

E, conforme o vento vira
p'ra onde fica virado
viram também as gaivotas
todas para o mesmo lado

Francelina - Na Nazaré, quem não rema, já remou




terça-feira, 22 de abril de 2008

ROMANCE DE PEDRO SOLDADO

Já lá vai Pedro Soldado
num barco da nossa armada
e leva o nome bordado
num saco cheio de nada.

Triste vai Pedro Soldado.

Branda rola não faz ninho
nas agulhas do pinheiro
nem é Pedro marinheiro
nem no mar é seu caminho.

Nem anda a branca gaivota
pescando peixes em terra
nem é de Pedro essa rota
dos barcos que vão à guerra.

Nem anda Pedro pescando
nem ao mar deitou a rede
no mar não anda lavrando
soldado a mão se despede
do campo que se faz verde
onde não anda ceifando
Pedro no mar navegando.

Onde não anda ceifando
já o campo se faz verde
e em cada hora se perde
cada hora que demora
Pedro no mar navegando.

E já Setembro é chegado
já o Verão vai passando.
Não é Pedro pescador
nem no mar vindimador
nem soldado vindimando
verde vinha vindimada.

Triste vai Pedro Soldado.
e leva o nome bordado
num saco cheio de nada.

Soldado número tal
só a morte é que foi dele.
Jaz morto. Ponto final.
O nome morreu com ele.

Deixou um saco bordado.
E era Pedro Soldado.

Manuel Alegre (os poemas da guerra)

domingo, 20 de abril de 2008

UM GESTO DE AMOR

video

Palavras?, para quê!?!?!?!

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Pão, símbolo de vida

O campo, pastagens, as ovelhas, o início da primavera, em Turquel
O campo, a cegonha, habitante do alentejo, searas, cereais a serem seifados, em Estremoz

E o pão, resultado final e proveniente das mãos que tão bem o sabe tratar, amassar, deixar fermentar e cuidar da cozedura...
hummmmmmmmmmmmm e o cheirinho? e o pacote da manteiga que se escondeu, para não haver tentações de assaltarem aqui o cantinho...
e as crianças que vêm ao encontro de quem lhes estenderá um naco de pão...
Isto é um pedaço de vida!
Cada vez gosto mais de pão!


segunda-feira, 14 de abril de 2008

Minha Flor




Nesta boca de criança, pouco mais que um bebé, ri, brinca, pula, aos saltinhos e nunca está calada e que quer saber tudo, gosta de miminhos, carinhos, beijinhos e diz tudo...
nestes olhinhos doces, cheios de ternura, cheios de amor, do nosso amor que nunca é demais...
nesta flor de seu nome Maria, onde me deixo derreter e onde largo o coração ao sabor das suas mãos deixo correr um pedaço da minha vida...

sexta-feira, 11 de abril de 2008

AFRICA, ANGOLA







A noite cedeu-nos o instinto
para o fundo de nós
imigrou a ave da inquietação
Serve-nos a vida
mas não nos chega:
somos resina
de um tronco golpeado
para a luz nos abrimos
nos lábios
dessa incurável ferida
Na suprema felicidade
existe uma morte silenciosa

Mia Couto






quarta-feira, 9 de abril de 2008

AMIZADE / LIBERDADE

Um pôr do sol, na praia dos meus encantos, dos meu encantamento e das minhas gentes queridas, onde as gaivotas são também especiais...
Nazaré, vista do parque da Pedralva, casas recentes, não são cabanas nem as casas baixinhas das ruas estreitinhas que vão dar ao mar , mas é a Nazaré!
O coreto do parque D. Carlos I, em Caldas da Raínha, a cidade que me viu nascer, crescer, correr e brincar
O Tonho, já tem seis meses, é o fofinho amigo dos meus príncipes e princesas, um companheiro que só quer mimos...
E uma princesa do mar, importante, atenta à espera de um pouco de pão e da companhia especial que ela já sabe escolher!



Amigo, maior que o pensamento, por esta estrada Amigo vem...
Um tema lindo, eterno, como todos e tantos, inesquecíveis, que perdurarão sempre na nossa memória!
Vim passear neste mundo de "blogs" por brincadeira, mostrar e ver fotografias de sítios bonitos e que possam valer a pena visitar,
dar dois dedos de conversa e escutar depoimentos de "amigos", trocar ideias e opiniões.
Nestes 6 meses de existência já encontrei pessoas lindas!
Vi e revi locais que gosto imenso e me trazem até alguma saudade e recordação por passagens e convívios que terão acontecido nos mais diversos espaços de vida e em diferentes situações.
Vou-me afastar um pouco, há quem esteja mesmo a dizer "nunca devias ter cá aparecido...", mas não é para fazer a vontade a estas "gentes",
só que o tempo disponível vai ser ainda mais reduzido e tenho que o gerir de outra forma, e isto da Net "rouba" muito tempo, a gente entusiasma-se...
Há os Amigos que (re)encontrei e os que conheci que não vou abandonar, apenas arredar-me um pouco...
Também já encontrei pessoas incríveis!
Há predicados e conceitos de vida que estão muito aquém de serem a realidade e não sei viver num mundo fantasma, ilusório, carregado de auto-lamentações falsas, prepotências que se disfarçam em "conselhos" e direcções perdidas baseadas nos mais incorretos princípios!

E porque é Abril (águas mil...) o mês da nossa Libertação, quando quem mais enaltece este direito é também quem mais o deturpa...
vou sair, não como entrei, mas mais rica em conhecimentos gerais, com mais amigos e, muitos esclarecimentos!
e com alguma mágoa, confesso
Vou voltando de quando em quando...
Obrigada pela companhia e tempo que fizeram o favor de me dispensar e paciência para me ouvirem!
E pela estrada da vida continuaremos a encontrar-nos...
Um beijo grande para todos










segunda-feira, 7 de abril de 2008

ÉS UMA ESTRELA!

e foi com este "mar barvo", que me despedi, até para a semana, meu mar, meu amigo, meu irmão
até as gaivotas, as minhas meninas andam arredadas, nem mesmo ao canto das pedras...

ondas??? não... nem uma! o céu azul, azul, lindo, o sol aquece a alma do povo nazareno que anseia o bom tempo e os visitantes...

4.abril.2008, foi assim neste mar outrora tão perigoso... que mergulhei os meus olhos, sem uma onda e já algum povo na areia e no banho...
As tuas casas velhinhas, todas de branco caiadas,
algumas bem maneirinhas, estão todas alinhadas
Seria alguma mãe, que pediu para assim ser?
todas direitas ao mar, p'ró filho não se perder?
Seria a Virgem Maria, Senhora da Nazaré,
que viveu na Palestina, e aqui pôs sua fé?
Pediu ao Pai do seu Filho para esta terra ser bela,
por isso, aos olhos do mundo,
NAZARÉ, és uma estrela!
- Francelina/98

sexta-feira, 4 de abril de 2008

MILO MACMAHON







África era árida e seca e Iemanjá nasceu dos deuses.
Iemanjá sentiu-se só e os deuses deram-lhe um filho, que ela pariu pelo umbigo. A este filho ela chamou "Rio" e o Rio cresceu e atravessou África e foi ter ao mar. E atravessou o mar. Do outro lado, abriu os braços, que se ramificaram e cada ramificação foi um novo filho e cada novo filho teve um novo nome: Missouri, Mississipi, Amazonas, Rio de La Plata... Com a primeira árvore nascida em África, um imbondeiro, a Iemanjá fez uma grande canoa e nela meteu todas as vozes que desciam outros rios: Quanza, Cunene, Limpopo, Zambeze, Nilo, Congo, Niger...
E disse: tu és o meu filho, homem africano.
E o homem africano partiu pelo rio de Iemanjá, cantando. E a canção era a esperança. O ritmo era o remo batendo na água. O coração era uma grande "maraca" trabalhando na alma "tantan": não esqueças, não esqueças, don't forget your background"
Raúl Indipwo
Emílio Vitor Caldeira de Vitória Pereira, o Milo, elemento do Trio e depois Duo Ouro Negro, o Milo Macmahon, faleceu há 23 anos, e não voltou à sua terra, onde Moamba, banana e cola, isso se come em Angola...
Vou levar-te comigo... sempre no meu coração, meu Amigo, Visto a tua camisa de amigo..., Muxima ueh, Muxima ueh...Minha terra é linda, como a flor...companheiro e compadre, um beijo enorme e a saudade em que vivemos, onde quer que estejas,
bem-hajas, Milo!

quarta-feira, 2 de abril de 2008

ARTESANATO











Um cheirinho de África, de Angola, o mercado do Artesanato de Luanda, nos arredores da cidade, com peças lindíssimas, em madeira ou pedra, mais ou menos trabalhadas, das mãos destes artistas.

Quadros printados sobre telas, com muita cor e sabor e o cheiro inconfundível de África.

Coisas lindas e possíveis para qualquer bolsa


terça-feira, 1 de abril de 2008

FÉRIAS DE INVERNO











- Andorra - Pas de la casa
Parece que a primavera finalmente chegou!
O Sol já aquece um bocadinho aqui, nos nossos cantinhos, chegamos ao fim do tempo do frio e da chuva e do vento, que tanto imperou este inverno!
Como "ainda" é permitido fazer férias repartidas, durante o inverno muitos anseiam a neve e procuram insistentemente notícias sobre as estâncias onde a prática do ski é o pão nosso de cada dia.
São locais lindíssimos, paisagens de sonho,
depois de grandes nevões quando o sol desponta, o reflexo deste astro rei nas serras cheias de neve, oferece-nos um espectáculo lindo!
E eu também lá vou agregada à família, só por passeio, ou porque fico com os netinhos na hora da sesta, já que não me é permitida a prática de desportos de neve.
E gosto de ir, tenho sempre uns livros, um tricot, ou ponto de cruz, e mesmo os hóteis oferecem
piscina, jacuzzi, sauna e banho turco... salas de convívio e internet e há sempre locais diferentes para ver, as comprinhas, etc, quando o tempo deixa...
Uma semaninha passa-se bem, mas a vontade de regressar é sempre constante, o mar fica tão longeeeeeeeeeeeeeeeee
Para o ano haverá mais!