segunda-feira, 29 de junho de 2009

Le Petit Prince
























Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint Exupéry, filho do conde e da condessa de Foscolombe - 29 de Junho de 1900, Lyon / 31 de Julho de 1944, Mar Mediterrâneo, foi escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial.

Faleceu durante uma missão de reconhecimento sobre Grenoble e Annecy. Em 3 de Novembro, em homenagem póstuma, recebeu as maiores honras do exército. Em 2004, os destroços do avião que pilotava foram achados a poucos quilómetros de Marselha, seu corpo jamais foi encontrado.

Suas obras foram caracterizados por alguns elementos em comum, como a aviação, a guerra.

Também escreveu vários artigos para alguns jornais e revistas da França e outros países, sobre mais assuntos, como a guerra civil espanhola e a ocupação alemã da França.

No entanto, deve-se dar uma atenção a este último, O Pequeno Príncipe (O Princepezinho, em Portugal) (1943), romance de maior sucesso de Saint-Exupéry. Foi escrito durante o exílio no Estados Unidos, quando fez visitas a Recife. E para muitos era difícil imaginar que um livro assim pudesse ter sido escrito por um homem como ele.

O Pequeno Príncipe é uma obra aparentemente simples, mas, apenas aprentemente. É profunda e contém todo o pensamento e a "filosofia" de Saint-Exupéry. Apresenta personagens plenos de simbolismos: o rei, o contador, o geômetra, a raposa, a rosa, o adulto solitário e a serpente, entre outros. O Pequeno Príncipe vivia sozinho num planeta do tamanho duma casa que tinha três vulcões, dois activos e um extinto. Tinha também uma flor, uma formosa flor de grande beleza e igual orgulho. Foi o orgulho da rosa que arruinou a tranquilidade do mundo do pequeno príncipe e o levou a começar uma viagem que o trouxe finalmente à Terra, onde encontrou diversos personagens a partir dos quais conseguiu descobrir o segredo do que é realmente importante na vida.

É uma obra que mostra uma profunda mudança de valores, que ensina como nos equivocamos na avaliação das coisas e das pessoas que nos rodeiam e como esses julgamentos nos levam à solidão. Nós nos entregamos a nossas preocupações diárias, nos tornamos adultos de forma definitiva e esquecemos da criança que fomos.

Amar não é olharmos um para o outro, mas sim olharmos ambos na mesma direcção

(foto pequena e texto retirados do google)

(outras fotos, das paredes do quarto dos meus príncipes!)

domingo, 21 de junho de 2009

A Casa do Zé







O Zé é um sem-abrigo de Caldas da Rainha, vivia e dormia num canto dum prédio onde está uma instituição bancária. Há anos que era assim... Sexta-feira chego a Caldas e reparo que na Praça da fruta alguém lhe fez uma casa... tem de tudo um pouco, um tecto, um colchão, uma mesa, um vaso com flores, um sofá com almofadas, uma estante com livros e alguns quadros...
O azulejo identifica-lhe o espaço "Casa do Zé"
Como será na verdade a vida do Zé, ou a tal casa do Zé...
Este trabalho foi feito por jovens que numa homenagem ao Zé, chamam a atenção a quem de direito possa modificar o modo de vida deste homem e de outros sem abrigo.
Não tem qualquer carácter de "gozo", o cantinho dele passou por ter apenas o atravessar a estrada e ficar ainda mais patente aos olhos de quem diz que soluciona ou resolve problemas sociais.
Todos merecem uma casa digna, com algum conforto, até decoração e instrução, como sejam os quadros e a estante com livros.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Noite diferente na "Maria do Mar"


video


Noites diferentes na Nazaré, ouve-se fado, chegam fadistas de longe e gentes da praia que também sabem falar o fado... guitarras e violas e a sensualidade do fado tão próprio e castiço para que se mantenha a raça e tradição do nosso povo!

Temos a melhor hospitalidade e simpatia das nossas gentes que esperam por quem nos visita, oferecemos uma refeição e uma noite diferente, é só marcar e conversar... e o resto acontece!

Porque a Marina é destas coisas, uma mulher de garra, trabalhadora e a maior amiga do seu amigo! Mil beijinhos te deixo, minha irmã!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Bacalhau

Bacalhaus acabados de pescar
O mar da luta e da pesca, na atenção dos pescadores
Botas utilizadas pelos pescadores nas lides do mar, na pesca do bacalhau
Pescadores carregando os cabazes do pescado
Alguns dos nossos pescadores que andaram embarcados na pesca do bacalhau
Fotos tiradas na exposição que ainda se encontra patente no Centro Cultural da Nazaré, antiga Lota, onde continuamos a fazer mostra de outros tempos das nossas gentes.
Hoje dedico a ti, Silvina, a minha querida irmã Cessa, dia do teu aniversário, uma simples e sincera homenagem ao teu homem que por esses mares também andou!
Um beijão do tamanho do mundo para ti e para o Abílio, que tão cedo nos deixou...


terça-feira, 16 de junho de 2009

Acontece, a toda a hora...

video

Contra o preconceito!

Não são precisas mais palavras!

domingo, 14 de junho de 2009

COMANDANTE

HAY QUE ENDURECER, PERO SIN PERDER LA TERNURA, JAMÁS


Ernesto Che Guevaara nasceu em Rosário, na Argentina, no dia 14 de Junho de 1928
Viva El Che, El Comandante, siempre!

video



As homenagens são eternas de tantos cantos do mundo, e aqui, na Nazaré, na noite de fim de ano, num dos palcos, cá estiveram estes compañeros que nos brindaram com o tema que perdurará em todas as vozes e sentimentos.



Como diria Che : "Sonha e serás livre de espírito, luta e serás livre na vida"



"Não quero nunca renunciar à liberdade deliciosa de me enganar"

"HASTA LA VICTÓRIA FINAL!!!"

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Blogue Dourado


Recebi este lindo selo-prémio da minha amiga Viviana de "Olhai os lírios do campo", que muito agradeço.
É um prémio que homenageia os melhores blogues e tem a sua simbologia nas cores que utiliza.
A cor azul representa a paz, profundidade e imensidão. A cor dourada representa a sabedoria, a riqueza e a clareza das ideias.
O prémio representa a união de blogues com estes merecimentos.
Regras:
Colocar o selo-prémio e indicar quem o premiou.
Premiar outros 10 blogues que se entendem assim representados por estas cores e avisá-los do dito prémio.

Não vou nomear 10 blogues, pois para mim, são muitos mais que 10 os que considero verdadeiros e cheios de riqueza e verdades, deixo portanto à disposição dos meus amigos o favor de o levarem e darem seguimento a esta singela homenagem!
Bem-hajam e obrigada a todos!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Tu és um insecto!

Foto das gentes do mar, na exposição "Vivências", no Centro Cultural da Nazaré


Um pescador a caminho do mar...


TU ÉS INSECTO


Em plena faina do mar, dois pescadores travaram-se de razões e entre muitos nomes que chamaram um ao outro, destaca-se o seguinte diálogo:

1ºPescador - à repá... Tu nem a áuga que bebes mareces. És um ranhôse. À repá, tu és um inséte!...

2ºPescador - s'eu sõn um e sete, tu és um e oite!...


Nazaré, Suas histórias e suas gentes - Joaquim Pimenta



domingo, 7 de junho de 2009

A cozinha dos "antigamentes"

Aventais de trabalho, do dia-a-dia
Pormenor no interior da cozinhaA mesa posta...
A chaminé, o fogareiro, o tacho ao lume
O escaparate com as loiças da cozinha
Mais ao lado, o móvel de apoio com o cântaro de água que se trazia da fonte e outras loiças


Parte da exposição referenciando outros tempos e vivências do povo da Nazaré, num regresso a um passado ainda tão breve e tão presente!
Em muitas outras localidades e aldeias do nosso país ainda estarão bem vivas estas memórias.


sexta-feira, 5 de junho de 2009

ARCO-ÍRIS

A vida é como um arco-íris. É preciso sol e chuva para que as cores apareçam!
E nestes dias tão incertos, ora de chuva e de sol, de vento e frio, de calor e luz, aparece imponente o arco-íris com as suas cores maravilhando as crianças e tantos adultos, e convidando os sonhadores a chegarem-se à ponta dele em busca do pote das moedas de oiro!

"O que me preocupa não é o grito dos maus... É o silêncio dos bons...!" (M.Luther King)


quarta-feira, 3 de junho de 2009

Parabéns, filhota!

A praia de S. Julião
A Foz do Lizandro
Ericeira, onde o mar também é azul!

Para ti, meu amor, parabéns pelos 37 anos que acabaste de completar!
Foi ali, na Clínica de S. Gabriel, e foi bem difícil!
Já são quase muitos... e deixo-te aqui fotos da praia dos "teus encantos", em bebé... já que nessa altura tínhamos uma casa em S. Julião, e por lá andávamos mais nos primeiros verões da tua existência...
Agora abraças o amor dos teus filhotes, os meninos mais lindos do mundo!
neste resto de tarde, com trabalhos da escola e o cansaço normal do dia a dia que temos que percorrer, pois nada é aqui ao lado, nem o local de trabalho, ou o colégio do Martim, ou o Infantário do Salvador!
Bem-hajas, minha filha, e toda a felicidade e sorte do mundo para todos, já que tens que lidar com a diabetes e todos os cuidados necessários e por vezes tão complicados de gerir...
e desejamos-te um resto de dia muito feliz!
Mil beijinhos nossos e parabéns!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA







(Fotos do parque D. Carlos I, em Caldas da Raínha)


Também já fui assim, criança! - ainda sou uma criança, graças a Deus! -
cada vez mais, pois sendo avó, tenho que partilhar os jogos, os legos, as batotas, os rebuçados "às escondidas" ou um gelado a mais...
Nascida e criada em Caldas da Raínha, corria e brincava na praça da fruta, no nosso lindo parque D. Carlos I, as flores, as árvores, o lago com peixinhos e barcos e os cisnes, lindos, que majestosamente mantém como sendo o seu lar aquele lago imenso e bem tratado! Tantas estátuas que embelezam o parque, o Museu de José Malhoa, Museu de Bordalo Pinheiro, os Pavilhões do parque que outrora foram o quartel, a Casa da Cultura, felizmente em recuperação!, as bicicletas, o court de ténis, o coreto, onde a banda filarmónica dava os seus concertos, a casa dos barcos, onde jogávamos ping pong, os bancos de jardim, a mata e o campo da bola, repuxos de água para matarmos a sede...
Dar milho aos pombos, tentar apanhá-los, e tudo o mais... andar nos baloiços e de bicicleta, até não puder mais, ou dar "aquele" trambulhão, chegar a casa de joelhos esfolados, a sangrar e ainda ouvir ralhetes...
naqueles anos os nossos dias eram "de rua", aparecíamos para comer e quando começava a escurecer!
Hoje as crianças não podem ter o mesmo tipo de brincadeiras, ao ar livre, entregues a si mesmas, sózinhas pelas ruas e parques!
Mas é muito bom alguns pais e avós terem disponibilidade para levarem as suas crianças aos jardins e baloiços e dar milho aos pombinhos, correrem e jogar à bola!
Os meus netinhos adoram!
Todas as crianças se alegram imenso nestes espaços de liberdade onde tanto lhes pode ser permitido, ir á praia, as brincadeiras de areia, o mar...!
Na Holanda há imensos espaços verdes, com gansos e patos, corças, bambis que deixam que as crianças se cheguem e façam umas festinhas e lhes dão pão e sementes... aqui também temos bastantes locais agradáveis para os nossos meninos puderem dar largas às suas brincadeiras.
Não apenas hoje, mas sempre que o tempo assim o permita!
A todas as crianças desejo o melhor do mundo, muito amor e alegria, muito rir e brincadeira, e que façam muitas asneiras................
Têm todos os direitos, já sobejamente conhecidos e falados, e que tantas vezes ficam na gaveta... e também têm obrigações, é certo, mas quantas vezes os grandes se esquecem dos direitos e apenas exigem as obrigações...
Bem-hajam todas as crianças do mundo, sem distinção de raça ou cor, ou crenças, e que a escola, o aprender seja um prazer e não um "frete", que haja pão e saúde em cada casa,
O Sol quando nasce é igual para todos!
Já a minha Mãe dizia... "voltamos a ser crianças, quando somos avós..." eu achava piada, ria-me, dizia-lhe "estás tonta..." agora sou tanto avó!