sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Florbela, a poetisa de dor

A MEU IRMÃO, AO MEU QUERIDO MORTO



Quando há oito anos traçava com orgulho e ternura, na primeira página do meu primeiro livro, onde encerrara os sonhos da minha dolorosa mocidade, estas palavras de oferta: À querida alma irmã da minha, ao meu Irmão, que voz de agoiro, que voz de profecia teria segredado aos meus ouvidos surdos, à minha alma fechada às vozes que se não ouvem, estas palavras de pavor: Aquele que é igual a ti, de alma igual à tua, que é o melhor do teu orgulho e da tua fé, que é alto para te fazer erguer os olhos, moço para que a tua mocidade não trema de o ver partir um dia, bom e meigo para que vivas na ilusão bendita de teres um filho, forte e belo para te obrigar a encarar sorrindo as coisas vis e feias deste mundo, Aquele que é parte de ti mesma que se realiza, Aquele que das mesmas entranhas foi nascido, que ao calor do mesmo amplexo foi gerado, Aquele que traz no rosto as linhas do teu rosto, nos olhos a água clara dos teus olhos, o teu Amigo, o teu Irmão, será em breve apenas uma sombra na tua sombra, uma onda a mais no meio doutras ondas, menos que um punhado de cinzas no côncavo das tuas mãos?!...

Que voz de agoiro, que voz de profecia teria segredado aos meus ouvidos estas palavras de pavor?!

Ah, a miséria dos nossos ouvidos surdos, das nossas almas fechadas! Les morts vont vite... Não é verdade! Não é verdade! Os mortos são na vida os nossos vivos, andam pelos nossos passos, trazemo-los ao colo pela vida fora e só morrem connosco. Mas eu não queria, não queria que o meu morto morresse comigo, não queria! E escrevi estas páginas...

Este livro é o livro de um Morto, este livro é o livro do meu Morto. Tudo quanto nele vibra de subtil e profundo, tudo quanto nele é alado, tudo que nas suas páginas é luminosa e exaltante emoção, todo o sonho que lá lhe pus, toda a espiritualidade de que o enchi, a beleza dolorosa que, pobrezinho e humilde, o eleva acima de tudo, as almas que criei e que dentro dele são gritos e soluços e amor, tudo é d'Ele, tudo é do meu Morto!

A sua sombra debruçou-se sobre o meu ombro, no silêncio das tardes e das noites, quando a minha cabeça se inclinava sobre o que escrevia; com a claridade dos seus olhos límpidos como nascentes de montanha, seguiu o esvoaçar da pena sobre o papel branco; com o seu sorriso um pouco doloroso, um pouco distraído, um pouco infantil, sublinhou a emoção da ideia, o ritmo da frase, a profundeza do pensamento.

Bastar-me-ia voltar a cabeça para o ver...

Este livro é de um Morto, este livro é do meu Morto.

Que os vivos passem adiante...



Florbela Espanca

32 comentários:

Anita disse...

Bom dia querida amiga que o teu dia seja iluminado como o sol...

Bom fim de semana.
Beijinhos
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

poetaeusou . . . disse...

*
Bem estava a sentir que ele morria...
E outro clarão, ao longe, já desponta!
Um engano que morre... e logo aponta
A luz doutra miragem fugidia...
Eu bem sei, meu Amor, que pra viver
São precisos amores, pra morrer,
E são precisos sonhos para partir.
,
In-florbela espanca
,
pilipares
,
*

gaivota disse...

anitaobrigada e bom fim de semana também para tibeijinhos

gaivota disse...

eu quero amar, amar perdidamente
este, aquele, o outro e toda a gente
pilipares

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida São, gosto de pensar que Florbela Espanca, não foi só angústia e tristezas... A vida dela foi muito atribulada, mas foi uma mulher de armas que se destinguio num mundo só de homems, naquela época... Eu tento ver o que de mais alrgre ela tem, porque me identifico com ela... Minha Amiga!... Bom fim de semana, beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

gaivota disse...

fernanda &poemas
pois não foram só atribulações, fernandinha, mas teve uma vida muito complicada e com doenças...
a neurastenia que acabou por a levar ao fim, com o rsto que bem sabemos...
bom fim de semana
beijinnhos

Sophiamar disse...

Uma poetisa de que aprendi a gostar há quarenta anos. Certa noite, no Alentejo, o único livro que tinha à mão eram os sonetos de Florbela. Escusado será dizer que tive dificuldade em adormecer com os olhos rasos de lágrimas.

Beijinhosssssssssssssssssssss

gaivota disse...

sophiamar
querida isabel, escusado será dizer... como eu, também me aconteceu assim parecido...
mil beijinhos

São disse...

Florbela, a sofrida e espantosa Florbela, que acabou por ceder à sua insatisfação sem remédio...
Que a sua alma tenha encontrado a paz que lhe faltou na viagem entre os vivos!

Bom fim de semana prolongado, xará!

Lyra disse...

Sempre pensei que Florbela Espança não viveu tempo suficiente para aprender a afastar a dor da sua vida e ser feliz. Como pessoa inteligente que era, "cantou" a dor que lhe ia na alma tão bem que o seu canto se tornou imortal e muitos se identificam com ela.

Beijinhos e até breve.

;O)

Lyra

FERNANDA & ASTROLOGIA disse...

Olá querida São, isto é um resumo muito pequeno, á muitos factores a ter em conta, o Ascendente é muito importante que se vê pela hora e local de nascimento!...
Um exemplo, eu sou Capricórnio com Ascendente Balança, e todo o meu comportamento é mais Balança que Capricórnio... Estes temas são muito vastos... Depende de pessoa para pessoa... Minha Amiga do coração muitos beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

rosa dourada/ondina azul disse...

Florbela,
ela sofreu muito quando o irmão se foi,
nem sei se chegou a recuperar-se dessa perda.
Os amores, também não lhe troxeram felicidade.
Buscou na morte, a libertação...

Beijinho p ti,
que hoje nos presenteaste "Florbela" :)

Eduardo Aleixo disse...

Obrigado por trazeres a grande poetida do amor e da dor, Florbela Espanca, até nós.
Passa um bom fim de semana.
Beijinhos.
Eduardo

Pico minha ilha disse...

Florbela que escrevia com dor e angústia, mas que belo são seus sonetos e todos seus escritos e acho que entre muitas também havia aguma alegria.Um abraço e um sorriso, bom fim de semana, beijinho

gaivota disse...

são
também penso assim, espeo que ela tenha encontrado a paz na outra viagem...
bom fi m de semana, xará
beijinhos

gaivota disse...

lyra
e cantou e eternizou a sua dor em toda a obra que nos deixou
beijinhos

gaivota disse...

fernanda &astrologia
tens toda a razão, certamente, eu não sou entendida nessas coisas, querida amiga, nunca me debrucei sobre o assunto, se bem que aceito e acredito e, por vezes, "procuro"
contactar-te-ei, fernandinha
beijinhos

gaivota disse...

rosa dourada/ondina azul
mulher sofrida, mulher vivida, deixou-nos uma obra interessante e linda
beijinhos

gaivota disse...

eduardo aleixo
grande poetisa, grande mulher!
bom fim de semana
beijinhos

gaivota disse...

pico minha ilha
poetisa da dor e do amor, minha amiga, intensa vida deixada nos seus escritos
beijinhos

BC disse...

Este texto é para reflectir sentir.
Bom Fim de Semana
Jocas
Isabel

Viviana disse...

Olá Gaivota linda,

Eu gosto muito dos poemas da nossa grande poetisa Florbela Espanca.

Apesar de muitos serem tristes.

Mas isso, creio ser natural nela.
A tristeza era uma evidência e, ela tinha sim muito motivos para andar triste.

Sei que muita gente "foge" dela para não se contaminar com a sua tristeza.

Nós podemos ler e gostar dos poemas sem nos deixar-mos influenciar pela tristeza dela.

Um beijo amiga.
Viviana

Multiolhares disse...

Grande poetisa, penso que é onde
impera o sofrimento que os poemas, a escrita,
tem mais força.
“Que os vivos passem adiante...”

quantas vezes os vivos já morreram sem o saber

beijinhos

gaivota disse...

multiolhares
e que os vivos passem a diante...
quantos, luna, quantos...
beijokinhasssssssssssssss

Sophiamar disse...

Gaivotinha linda, querida, amiga!

O Natal está a chegar e tu de partida para outras bandas mais frias, mais chuvosas mas onde tens quem te aqueça a alma e o coração e onde também te querem tanto quanto lhes queres.É assim a vida!
Deixas cá outros que muito te amam também. Voa Gaivota, voa. Cá te espero de volta.

Mil beijinhossssssssssssssssssssss

O Profeta disse...

Este Mar que beija a Ilha
Traz de longe sonhos perdidos
Adormece na areia e deixa
Na espuma mil e um segredos

Meus sonhos são estrelas que semeio no espaço
São corpo nu que vagueia pela saudade
Brotam e correm para o Mar
Enfrentam a dor a tempestade



Bom domingo



Doce beijo

Gerlane disse...

Mesmo na tristeza, ela é perfeita!

Uma semana iluminada, amiga! saúde e paz!

Beijinhos!

elvira carvalho disse...

E hoje dia 8 de Dezembro é o dia da blogagem colectiva da Florbela Espanca. Eu participo com o blog "A mulher e a Poesia"
Florbela era uma poeta, detesto dizer poetisa, porque me parece uma maneira de apoucar as mulheres que escrevem poesia, muito triste, muito sofrida. Como Alda Lara também.
Um abraço e bom feriado

gaivota disse...

sophiamar
pois estou, querida isabel, vou agarrar as minhas meninas como se fosse a última vez!, mimá-las o tempo todo, vão ser só 4 dias...
mal chego, já estou quase de volta...mas os meus principesinhos ficam à espera e cheios de ciúmes, que eles á entendemmmmmmmmm
mando-te um mail, já me entenderás...
beijinhos, milessssssssssssssssss

gaivota disse...

o profeta
deixas-me este peoma ao qual nem tenho palavras a acrescentar...
bom domingo e bom feriado, aetecia-me era tar por esses lados!!!
beijinhos, mágicos

gaivota disse...

gerlaen
era uma mulher inteira!
beijinhos

gaivota disse...

elvira carvalho
pois bem sei, há-de aparecer um escrito para a homenagear, estive fora todo o dia e muito cansada e doente,
beijinhosssssssssss